Demanda internacional aumenta preços da carne

“O preço da carne bovina negociada no atacado da Grande São Paulo sobe 4,8%”

A forte demanda internacional por carnes acabou aumentando o preço do produto no mercado doméstico, segundo informou o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). De acordo com a CarneTec Brasil, esses valores refletem as vendas de carne bovina e também suína. 

“O preço da carne bovina negociada no atacado da Grande São Paulo sobe 4,8% na parcial do mês de outubro, com a média mensal da carcaça casada a R$ 11,02/kg, o maior valor já registrado em termos nominais. Essa média é também a mais elevada desde janeiro de 2018, considerando o valor em termos reais, disse o Cepea em nota”, indica a CarneTec. 

Além da aquecida demanda internacional, principalmente por parte da China, os preços altos da carne bovina são influenciados pela baixa oferta de animais prontos para o abate. “A média mensal do indicador do boi gordo Esalq/B3 até quarta-feira (16) é a maior já registrada pelo Cepea em termos nominais, a R$ 160,94. Em termos nominais, o valor é o maior desde fevereiro de 2018”, completou. 

As cotações da carne suína também acompanham o aumento no preço do suíno vivo, que segue em alta há seis semanas. “As compras de novos lotes de suínos por parte de grandes agroindústrias e também de frigoríficos menores seguem aquecidas, especialmente devido ao forte ritmo das exportações da carne”, disse o Cepea. 

“A média de preço da carcaça especial de suíno da Grande São Paulo em outubro avança 7,6%, em relação ao mês anterior, para R$ 7,44/kg”, finaliza a CarneTec, indicando as compras e os valores que são pagos pelos produtos brasileiros nas principais praças do Brasil. 

Comentários

1
Olá, chame a gente no Whatsapp! Clique Aqui!
Powered by